Seguidores

Projeto Pirata


VAMOS PASSAR A IMAGEM DO PIRATA COMO UM AVENTUREIRO DOS MARES, COM SEUS ESCONDERIJOS SECRETOS...

CAROLINA E O PIRATA
  Carolina morava perto do mar e adorava acordar bem cedo e ficar olhando para o horizonte, imaginando que algum dia um navio pirata chegaria àquela cidade, isso mesmo, ela adorava pirata e histórias de pirata. Num dia de muito sol, Carolina estava lá olhando o mar, quando de repente, avistou um navio e correu para contar para seus amigos que estava chegando um navio pirata. Ninguém acreditou, mas todos foram conferir e, ao pisar na praia, que surpresa! Era um navio pirata com piratas de verdade! Mas eles não eram tão legais como imaginavam. Foram logo dizendo: _Vão embora! Não gostamos de crianças! Todos foram embora e falaram: _Carolina, esqueça essa história. Porém, sozinha, ela disse: _Não vou esquecer, não. Amanhã volto bem cedo para a praia e vou conhecer os piratas. E foi o que ela fez assim que o sol nasceu. Ficou escondida olhando para o pirata, admirando seu chapéu, e, tomando coragem, perguntou: _Seu pirata, posso olhar seu chapéu? Ele respondeu: _Saia daqui! Eu não gosto de crianças! Ela insistiu e repetiu: _Seu pirata, deixe me ver o seu chapéu. Eu gosto tanto de chapéu de pirata. Como ela não parava de falar, o pirata disse: _Tudo bem, eu vou te ensinar a fazer um chapéu igual ao meu. Ela pulou, rodopiou, riu, gritou, só faltou cair de tanta alegria. E ele disse: _Mas vamos logo, tenho mais o que fazer!!!...  _Está pronto! (disse o pirata). Mas Carolina queria ficar lá conversando com o pirata e passou a fazer várias perguntas. O pirata começou a respondê-las e, com muito orgulho, contou suas histórias: os tesouros encontrados no fundo do mar, o salvamento de pessoas, as viagens... Depois de falar sobre muitas e muitas aventuras, o pirata se viu sentindo um carinho pela menininha, mas, mesmo assim, ele disse com voz grossa: _Vá embora, que já é muito tarde e eu não gosto de crianças! Aquele dia tinha sido o melhor dia da vida de Carolina, ela estava tão feliz que quase não conseguia dormir. Quando acordou, adivinhem aonde ela foi? Isso mesmo: pegou seu chapéu de pirata e correu para a praia para ouvir mais histórias de pirata, mas, chegando lá, adivinhem o que aconteceu? O barco não estava mais. Ela olhou para o mar, viu-o sumindo na água e ficou muito triste. ...  Carolina brincou muito com seu barquinho imaginando seu amigo pirata dentro dele e, todos os dias, ao acordar, ia em direção ao mar esperá-lo voltar. Um dia, ela estava lá, olhando o mar, quando de repente, avistou um barco grande. Porém o mar estava nervoso, as ondas, bravas, e o barco foi sendo jogado de um lado para outro... Ficou com a parte de cima e o mastro quebrados. E o mar continuou revoltado e as ondas eram bem grandes. O barco foi virando, virando e, então, ficou com uma parte do casco quebrada. ... Depois um outro pedaço do outro lado do casco sofreu o mesmo dano. ...  Carolina já estava desesperada, imaginado o pirata sumindo no meio do mar e que nunca mais iria encontrá-lo. Alguém pode imaginar o que salvará a vida do pirata? ... O pirata vestiu o colete e começou a nadar, nadar... Até chegar à praia, onde deu um abraço na menininha e disse que estava com saudade. Naquele momento ele gostava de crianças e sempre as reunia para contar suas histórias e aventuras.
FIM = = = = = = = = = = = = = = = = = =

DURANTE A HISTÓRIA... À medida que a história está sendo contada e for abordando os temas CHAPÉU, BARCO E COLETE SALVA-VIDAS, você, junto com as crianças, deve confeccionar as dobraduras que se referem a esses objetos (isso é feito a cada pausa dada na história, marcada pelas reticências). 

PASSO-A-PASSO DAS DOBRADURAS O papel ser usado para a confecção das dobraduras fica a critério da professora. Pode ser papel espelho na cor desejada. Eu preferi usar jornal, porque podemos explorar o tema reciclagem com a turma. E você pode também, pintar o jornal usando tinta guache e um pincel batedor, as crianças vão adorar. Uma dobradura vira três. A partir do chapéu você criará o barco e também o colete.
Chapél:
1. Coloque um retângulo de jornal na posição horizontal. Dobre-o ao meio. Coloque-o novamente na posição horizontal para marcar o meio. Abra esta segunda dobradura e dobre as duas pontas superiores em direção ao centro do retângulo, formando um triângulo. 2. As partes que sobraram abaixo do triângulo você vai dobrar para cima, cada uma para seu respectivo lado. Em seguida, dobre as pontas que sobraram dessas tiras para o outro lado, uma por cima da outra. Está pronto o chapéu!
Barco:
1. Segure as duas bases do chapéu pelo centro e empurre-as para fora. Faça uma leve pressão nas laterais para vincar. 2. Dobre para cima uma das pontas que ficaram soltas na parte de baixo. Repita o processo no outro lado. 3. Segure pelo centro, as bases do triângulo formado. Empurre-as para fora até que suas extremidades se encontrem. Um losango será formado. 4. Puxe para fora as pontas que ficaram soltas na parte de cima do losango e ajeite o barquinho com as mãos. O barquinho está feito!
Colete:
1. Rasgue as pontinhas das duas extremidades e do triângulo que se formou ao meio (no momento em que for abordado na história que o barco ficou com a parte do casco quebrada...). 2. Depois de rasgado nas três extremidades você abre a dobradura até ficar apenas uma dobra ao meio da folha. Está formado o colete!
As Crianças amaram a história e ainda participaram fazendo as dobraduras:



Seguem modelos de máscaras e alguns desenhos para colorir e usar colagens...







OUTRA DICA BEM LEGAL: 
UM JOGO FEITO DE FELTRO DE CAÇA AO TESOURO À VENDA NO ENDEREÇO ABAIXO...

http://www.abracadabrafantoches.com.br/jogos.html#tesouro

2 comentários:

kizy disse...

muito legal, me ajudou bastante.... adaptei para minha turma que é de 4 anos.

Eritelma Matias disse...

Bom Dia!!
Tia Sônia, adorei seu blog, as atividades são maravilhosas, muitas dicas de como trabalhar temáticas em sala de aula.
Abraços!
Eritelma